OK
Close

'Golpe' foi para acabar com conquistas, afirma Lula

Brasil e Mundo

15/03/2017-23:00:13 Atualizado em 15/03/2017-23:00:06
Arquivo | TODODIA Imagem
lula | Atacou Temer

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursou ao final do ato contra a reforma da Previdência, na Avenida Paulista, e disse que "está ficando cada vez mais claro que o golpe dado nesse País não foi apenas contra a Dilma, contra os partidos de esquerda", mas também para "acabar com as conquistas da classe trabalhadora ao longo de anos".
"Quem pensa que o povo está contente está errado", afirmou Lula. "Esse povo só vai parar quando eles elegerem um presidente democraticamente."
"Eu gostaria que o [Henrique] Meirelles e o Temer tivessem ouvindo, que um dia nós resolvemos o problema da Previdência", afirmou o ex-presidente citando o atual ministro da Fazenda, que foi presidente do BC na sua gestão. "Em vez de fazer uma reforma para tirar direitos, gerem emprego, façam a economia rodar."
Lula partiu, no discurso de pouco mais de oito minutos, para oposição frontal a Temer. Para ele, o atual presidente deveria ser "diretor de associação comercial. Chamou duas vezes o atual governo de ilegítimo, sem reconhecimento internacional."
Participaram da manifestação centrais sindicais, como CUT, Conlutas e CGT. Força Sindical e UGT, que participaram de paralisações pela manhã, não participaram da manifestação à tarde. A reportagem apurou que as organizações orientaram os militantes a não irem para não "fortalecer o PT". | FOLHAPRESS