OK
Close

Da infância à adolescência

TodaGente

Texto | Claudete Campos Fotos | Divulgação | 25/02/2017-16:59:22 Atualizado em 25/02/2017-17:08:12

O tempo passa e os bebês passam a ser crianças e, depois, já chegam à adolescência. E a decoração do quarto deve acompanhar cada fase do desenvolvimento. Até para que seja funcional e reflita a personalidade dos ocupantes, em especial na adolescência.
No caso dos bebês e das crianças, os ambientes devem ser lúdicos, para estimular a criatividade e a fantasia e aguçar as descobertas. Cada faixa etária tem uma demanda diferente, diz a designer e psicóloga Fabiana Visacro. "O desenvolvimento da criatividade dos pequenos é o item principal a ser levado em conta na hora de se projetar o quartinho. É importante estimular as brincadeiras com brinquedos não estruturados, aqueles que são feitos pelas próprias mãos, pois estimulam a imaginação delas", explicou Fabiana.
A designer de ambientes Jacqueline Ortega cita a importância de um mobiliário adequado para os pequenos. "Quando a criança faz um aninho, e começa a dar os primeiros passos, é hora de propor um novo layout para o pequeno explorador! O mobiliário deve ser alterado, abrindo espaço para a criança interagir e se locomover. Ela precisa de um espaço para colorir e, também, guardar os brinquedos que começam a ficar maiores e, aí, podemos utilizar nichos e prateleiras no ambiente", recomendou Jacqueline.
Quartos de bebês e crianças
A designer e psicóloga Fabiana Visacro sugere relacionar os livros e os brinquedos com elementos íntimos e amorosos, como fotos da família, pois o aprendizado da criança envolve emoção e afetividade.
A arquiteta Vanessa Figueiredo sugere trocar os brinquedos de acordo com a idade adequada, pois este estímulo ajuda a criança a desenvolver suas funções motoras, cognitivas e emocionais conforme cada fase
A decoradora Cristina Bahia sugere uso de elementos decorativos, como quadros e adornos, para criar um ambiente lúdico e infantil sem gastar muito
Se o orçamento anda curto, Fabiana, Jacqueline, Vanessa e Cristina sugerem uso do papel de parede, para deixar o ambiente lúdico e para acompanhar as fases de crescimento. Vanessa também sugere adesivos, almofadas e cobre leitos.
Quarto de adolescente
Customizar os móveis, como escrivaninha ou cômoda, é uma alternativa para transformar o ambiente e para interagir com o filho
Aplicar uma tonalidade clara na parede, como cinza crômio, e cores mais vibrantes nos móveis, como laranja papoula ou azul oceano pacífico, dão contraste ao quarto
Para os mais ousados, usar grafismos na parede, como formas geométricas que se complementam
Para os adolescentes práticos, aplicar efeito lousa em uma parede do ambiente ou na porta do armário estimula a criatividade e a interação com os elementos decorativos
Tonalidades neutras, como cinza elefante, combinam com objetos personalizados dos adolescentes que podem ser pendurados na parede, como quadro de fotos com os amigos, skate e prancha de surf
Fonte: Tintas Suvinil