OK
Close

Menos, Felipe Melo, menos

Lance Livre por Claudio Gioria

Claudio Gioria | Editor-chefe do TODODIA e escreve aos sábados - 20/01/2017-23:57:40 Atualizado em 21/01/2017-00:04:11

Algo vai mal, afinal para muitos foi a grande contratação de um clube brasileiro para esta temporada.
Entre ele e Conca, ficaria com o Conca.
Entre ele e Thiago Neves, não pensaria duas vezes.
Entre ele e Guerra, Guerra.
Cléber ou ele? Acertou o Santos ao reforçar sua zaga.
Wellington Nem ou ele? Nem hesitaria.
Mas, para muitos, Felipe Melo é a grande contratação para esta temporada porque, apesar de tudo, sabe jogar bola. O problema é só o "apesar de tudo", embora nem mesmo o saber jogar bola o torna um jogador tão diferenciado assim de tantos outros.
Se o cara consegue ser desequilibrado em uma entrevista de apresentação, aquelas longe do calor do jogo, imagine o que vem por aí.
Passados quase sete anos daquela maldade/burrice pra cima do holandês Robben, Felipe Melo não aprendeu absolutamente nada.
Aliás, aprendeu sim. Continua o mesmo, só que pelo jeito tentará fazer as coisas mais discretamente. Nada de um pisão no rival na cara do árbitro e do mundo, como em 2010. Agora, um "tapa na cara de uruguaio" será dado, se preciso for, mas "lógico que com responsabilidade". Que o árbitro não veja essa irresponsabilidade, para que o tapa mantenha seu caráter responsável.
Felipe Melo continua confundindo garra com violência. Até nas palavras.
Após a Copa de 2010, disse que o juiz exagerou em sua expulsão ("Eu peço desculpas não pela minha entrada, mas porque falhamos. Não agredi, não dei soco. Foi uma jogada que o juiz interpretou que era para vermelho. Eu acho que ele exagerou", disse à época). Agora, mais maduro (!?!), atrai ainda mais a atenção dos árbitros mesmo já tendo, pelo seu histórico, todas elas voltadas para si.
Nada inteligente.
Você, palmeirense, lembre de Edmundo.
Quantas vezes o Animal, pelas inúmeras expulsões justas que teve na carreira, foi expulso injustamente? O árbitro olha o bad boy com outros olhos, porque sabe que dali, hora ou outra, algo não muito bom virá à tona. E não é nada inteligente um bad boy alimentar ainda mais isso. Jogando e, principalmente, falando.
Mas você que lembrou de Edmundo, sabe que existe um oceano de diferença entre ele e Felipe Melo.
Edmundo xingava, brigava, entrava na maldade, era suspenso, desfalcava o time. Mas quando jogava, via de regra, decidia a partida. E o torcedor acabava "perdoando" as inúmeras vezes em que ele deixava o time na mão porque em outras inúmeras vezes ele fazia a diferença.
Felipe Melo não tem nem 2% do potencial de Edmundo para decidir uma partida. Assim, seus deslizes não serão perdoados com a mesma facilidade pelos torcedores e não será a imprensa a culpada por isso, embora Felipe Melo credite na conta de jornalistas uma imagem da qual ele não só nunca fez questão de se dissociar, como ainda alimenta com fotos a la pitbull em redes sociais.
Jogar duro, com vontade, pode decidir uma partida. Dar tapa na cara também. Resta saber se Felipe Melo quer decidir a favor ou contra.