OK
Close

Biblioteca ocupou dois prédios

Cosmópolis

ANDRÉ ROSSI COSMÓPOLIS | 09/12/2016-01:11:35 Atualizado em 09/12/2016-01:12:14
Centro de Memória de Cosmópolis
1999 | Banda de Cosmópolis tocou na inauguração do novo prédio

Ao longo dos 35 anos de sua existência, a Biblioteca Municipal José Kalil Aun, de Cosmópolis, ocupou dois prédios na cidade. O espaço foi inaugurado no dia 30 de novembro de 1981 em uma sala dentro do Fórum da cidade. Depois, foi transferida para o prédio atual em novembro de 1999, como comemoração pelos 55 anos Cosmópolis, segundo o Centro de Memória da cidade.
Quem viu de perto tudo isso foi a auxiliar administrativa Elizabethe Aparecida Ramin Vieira da Silva, que é funcionária da biblioteca há 23 anos. "Quando eu entrei já ouvia as conversas que o pessoal do jurídico queria o prédio. Depois, alugaram esse outro prédio para nós, que já tinha sido oficina, loja. Era um 'galpãozão' escuro e a prefeitura fez toda uma estrutura, colocou lâmpadas, ventiladores, enfim, adequou o prédio", contou.
Apesar de ser adaptado, a funcionária garante que era um local gostoso de trabalhar. A localização também é elogiada.
"Apesar de ser meio adaptado, de ser um prédio antigo, era um local que a turma gostava muito. Tínhamos muitos frequentadores que passavam por lá todos os dias, pessoal que 'marcava ponto' ali com a gente, praticamente", disse Elizabethe.
É o caso do advogado Carlos Luiz de Castro, 46, que frequentava a biblioteca diariamente há quase 20 anos. "No meu trabalho eu atendo mais pelo celular e por isso tinha essa disponibilidade. Tinha dia que eu ficava a manhã e parte da tarde lá, lendo jornais, estudando meus livros jurídicos. Depois da minha casa, o lugar que eu mais frequentava era a biblioteca", afirmou.
Quando soube do incêndio, o advogado não conseguiu conter as lágrimas. "Particularmente, para mim, está fazendo muita falta. Para ser sincero, até chorei na hora que vi. É uma situação muita chata", disse Castro.
Segundo a auxiliar Miriam Toledo, que também trabalhava no local, a média de visitas na biblioteca era de 40 a 50 pessoas por dia. "Tínhamos usuários bastante ativos", disse ela.
Além dos livros em si, a biblioteca também recebia uma série de atividades, como cursos de viola caipira, reuniões de entidades e contava com um posto do Acessa São Paulo, que permitia o uso da Internet gratuitamente para a população.
JOSÉ KALIL AUN
A biblioteca de Cosmópolis leva o nome de José Kalil Aun, imigrante libanês que foi o primeiro comerciante da tradicional Avenida Ester, no início do século 20. Ele também foi o primeiro correspondente bancário da cidade, segundo o historiador e presidente do conselho de cultura da cidade, Adriano da Rocha.
Os filhos do imigrante também tiveram importância na cidade. O filho dele, Dr. Orlando Kalil, foi um importante médico no município. Já sua filha, Lídia Onélia Kalil Aun Crepaldi, dá nome a uma das mais tradicionais escolas de Cosmópolis.