OK
Close

Incêndio destrói obras da cidade

Cosmópolis

ANDRÉ ROSSI COSMÓPOLIS | 09/12/2016-01:11:31 Atualizado em 09/12/2016-01:12:09
Arquivo | TODODIA Imagem
ACERVO PERDIDO | Imagem da biblioteca municipal em 2005

Todo o acervo de cerca de 16 mil livros da Biblioteca Municipal José Kalil Aun, de Cosmópolis, foi consumido pelas chamas que atingiram o prédio na noite do último sábado (03). Entre os exemplares que se perderam, estão livros que registravam parte da história da cidade, de acordo com a secretaria de Cultura.
O fogo começou por volta das 20h50 de domingo e consumiu uma pizzaria, a biblioteca e parte de uma mecânica vizinha. Equipes do Corpo de Bombeiros de Campinas e Paulínia trabalharam na contenção das chamas até às 2h. Não houve vítimas.
De acordo com a secretária de Cultura da cidade, Carina Bentlin, a principal perda foi a produção local. "Tínhamos livros sobre a história da cidade, coisas mais antigas. Alguns livros relacionados à história da Usina Ester, obras de autores da cidade em geral, crônicas sobre a história da cidade e nossos personagens", afirmou.
A secretária pretende fazer uma campanha na cidade para identificar se algum morador possui exemplares desse gênero para doá-los para a prefeitura. "Infelizmente não sabemos se vamos conseguir recuperá-los", lamentou Carina.
A biblioteca funcionava em um prédio do bairro Bela Vista desde novembro de 1999. Além dos livros, o local abrigava diversos jornais históricos da cidade. Parte deles já tinha sido digitalizado, mas existe a possibilidade de parte dessas publicações teriam sido perdidas para sempre.
"Uma parte física desse jornais que estava na biblioteca nós não perdemos completamente, porque tínhamos muita coisa digitalizada já. Não posso afirmar 100% (que recuperamos tudo), mas temos um acervo (de jornais) muito grande no nosso Centro de Memória", disse Carina.
Os 15 computadores do Acessa SP, que funcionava no mesmo local, foram destruídos. Porém, a secretaria de Cultura já acionou o Governo do Estado, que ficou de encaminhar outros 15 aparelhos para repor os perdidos, segundo a secretária de Cultura.
"A gente vai receber um kit novo, é só o tempo burocrático para vir isso mesmo, já mandamos a documentação. (O Acessa SP) vai funcionar ano que vem na rodoviária, em umas salas que tem lá. Isso a gente já conseguiu resolver", afirmou Carina.
DEMOLIÇÃO
Durante o incêndio, parte do teto caiu, o que dificultou o trabalho de perícia no local. No início desta semana, engenheiros da prefeitura analisaram o local e constataram que as paredes do prédio terão que ser demolidas.
As causas do incêndio ainda não foram identificadas. "Vão fazer a perícia técnica, isso demora um pouquinho. Fizeram vistoria no local e constataram que (o incêndio) começou no prédio vizinho (na pizzaria). (...) Está comprometido e terá que ser demolido", disse Carina.