OK
Close

Tradição nas escolinhas esportivas

TODODIA Express

ANDRÉ ROSSI AMERICANA | 26/08/2016-22:41:38 Atualizado em 26/08/2016-22:45:13

Investir na formação do cidadão através do esporte é uma característica de Americana. Atualmente, cerca de 4,5 mil crianças participam gratuitamente das escolinhas de esporte da cidade, que conta com 36 modalidades entre as categorias masculina e feminina. Para tornar isso possível, a prefeitura reativou no ano passado o sistema de recolhimento do ISSQN (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza), que estava suspenso, para que as empresas voltem a repassar recursos ao esporte.
Algumas das escolinhas existem há mais de 20 anos. É o caso da natação, cujas aulas são comandadas pela professora desportiva Anabel Moreira, 50, no Centro Cívico. "Faz 22 anos que eu estou aqui e a equipe já existia antes disso. A natação é tradicional e sempre foi um esporte bem aceito na cidade, que já revelou nomes importantes para o esporte, tanto a nível estadual quanto nacional", afirmou.
No último semestre, a escolinha tinha 348 alunos. Aqueles que mais se destacam são aproveitados na equipe de competição.
"A gente trabalha com a criançada na escolinha e já vai revelando para a equipe. Competimos em torneios regionais e também dos torneios da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos). (...) Temos procurado envolver os pais junto com a administração. Quando a família está junto o apoio é maior", disse Anabel.
Uma das alunas do projeto é a Natalia Cabral, 17. Ela treina com a equipe desde os 7 anos. "Minha mãe tinha me colocado na academia, mas meu tio falou que estava tendo a escolinha de natação. Resolvi ir para ver como era e nunca mais parei. É muito legal e a estrutura é boa", comentou.
Outro projeto já tradicional da cidade é a Escola de Goleiros Camisa 1, idealizada pelo professor e ex-treinador de goleiros do Rio Branco Vander Batistella. "Foi um projeto pioneiro no Brasil, a primeira escola de goleiros do País. Vários atletas que atuam hoje em times profissionais saíram daqui", afirmou.
É o caso de goleiros como Daniel Fuzato, titular da equipe sub-20 do Palmeiras, e Diego Pato, campeão paulista com o Ituano em 2014. Cerca de 110 alunos participam dos treinos, que acontecem três vezes por semana em dois períodos. Além disso, a Escola de Goleiros também promove palestras com ex-alunos do projeto, exibição de vídeos táticos, e realiza duas vezes por mês o Projeto Biblioteca, que visa incentivar o hábito da leitura.
Em novembro, a escola completa 11 anos de existência. "No começo não acreditavam que uma escola de goleiros daria certo. Foi colocada em prática em 2005 e, para nossa surpresa, já vão fazer 11 anos. Temos o respeito e a credibilidade, tanto no âmbito educacional quanto na formação do cidadão, do caráter", afirmou Vander.
SAIBA MAIS
O investimento da prefeitura em esportes pôde ser visto recentemente nos Jogos Regionais, realizados na cidade no final de julho. Disputando a segunda divisão, Americana se sagrou campeã e voltou à elite regional. "Nós ganhamos os Jogos Regionais só com atletas formados nas escolinhas de base. Não tinha como bancar nada de fora e os nossos atletas se empenharam e mostraram ao que vieram", exaltou o secretário de Esportes, Edilson Bissoli.