OK
Close

Rede de Saúde realiza 135 mil atendimentos ao mês

Sumaré 148 anos

ANDRÉ ROSSISUMARÉ | 25/07/2016-19:05:38 Atualizado em 25/07/2016-21:39:13
Divulgação
MELHORIA | USF do Nova Terra foi uma das unidades revitalizadas

A rede de Saúde de Sumaré realiza atualmente 135 mil atendimentos por mês, incluindo 60 mil consultas e 70 mil exames mensais. Desde 2013 a prefeitura realizou uma série de investimentos no setor, como a regularização dos estoques de medicamentos e insumos, parceria com empresa para administrar os dois principais prontos-socorros, um novo laboratório de referência e uma série de obras de reformas e ampliações de unidades básicas.
São cerca de 38 mil atendimentos por mês apenas em suas unidades de Pronto Atendimento (PA Matão, PA Maria Antonia, PA Nações, CIS Nova Veneza e UPA 24h Macarenko) e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Só na UPA 24h Macarenko, são realizados 600 atendimentos por dia, com um investimento de R$ 3 milhões ao mês para manter o serviço em funcionamento através da Associação Pró-Saúde.
Na Assistência Farmacêutica são 331 medicamentos distribuídos na rede, com 46.520 atendimentos por ano na Farmácia de Alto Custo (Estado) e 3.600 atendimentos de Ordem Judicial por ano, como fraldas, medicamentos, internações psiquiátricas, suplemento, home care, entre outros.
Também foram realizadas mais de 20 intervenções estruturais em prédios da rede de Saúde, como a reforma da USF (Unidade de Saúde da Família) Nova Terra e da USF Maria Antônia.
Segundo a prefeita Cristina Carrara (PSDB), a palavra chave para reestruturar a Saúde foi gestão. "Recuperar as condições de trabalho e de atendimento na Saúde era nossa maior prioridade quando assumimos, em 2013. A rede municipal estava sucateada, sem remédios, sem insumos, com médicos insuficientes para a escala. Mas depois destes mais de 40 meses de trabalho incansável e incessante, de um intenso trabalho de modernização da gestão e de obras, podemos afirmar, com absoluta certeza, que Sumaré é hoje um exemplo para outras cidades", afirmou.