OK
Close

Festival de cinema deve receber até 600 produções

Sumaré 148 anos

CLAUDETE CAMPOSSumaré | 25/07/2016-19:06:29 Atualizado em 25/07/2016-21:32:27

Sumaré vai se transformar na capital do cinema. De 16 a 25 de setembro sediará o 2º Festicini (Festival Internacional de Cinema Independente), que premiará os novos talentos. Neste ano, a expectativa dos organizadores é que se inscrevam até 600 produções de 43 países. Até semana passada, 560 obras estavam cadastradas. O prazo de inscrições já se encerrou.
As inscrições foram para as categorias longa-metragem, média-metragem, curta-metragem ficção, curta-metragem documentário e animação. Os melhores receberão estatuetas estilizadas. O festival está no segundo ano, mas a intenção dos organizadores, os produtores culturais Carlos Braga, 57, e Wilson Roque Bassos, 50, é que o evento se solidifique e faça parte do calendário cultural.
Bassos nasceu em Sumaré, montou uma produtora em São Paulo e voltou às suas raízes. Ao receber apoio da prefeitura e de patrocinador, levou o festival para sua terra natal, indo de encontro à proposta de fazer o evento no interior do estado. É uma forma de incentivar o pequeno e médio produtor.
Mesmo com tão pouco tempo de vida, o festival já cresceu. Ano passado foram 533 inscrições em três meses e, neste ano, 560 em dois meses, até o último balanço parcial. Só de Cosmópolis são 10 produções. Muitas são de Campinas. Ano passado foram 33 filmes exibidos e neste ano será o dobro, mas nem todos vão concorrer.
A diversidade será a tônica do evento cinematográfico. Pelo olhar do cineasta, as pessoas vão conhecer outras culturas. "Principalmente no cinema independente, que é mais livre. Não sofre uma censura de uma grande produtora. Eu acho que está mais livre para o diretor expor suas ideias", explicou Bassos.