OK
Close

Luta de braço nas Paralímpiadas

Hortolândia

andré rossihortolândia | 08/07/2016-23:28:59 Atualizado em 08/07/2016-23:53:22
Matheus Reche | TODODIA Imagem
SOUZA | Atleta há 22 anos, o multi campeão diz que esporte entrar nos Jogos Paralímpicos do Rio-2016 como exibição já é vitória

Com 22 anos de carreira, 15 títulos brasileiros e oitos mundiais na luta de braço, o atleta Valdomiro Pereira de Souza, 44, de Hortolândia, participará dos Jogos Paralímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, em setembro. A modalidade não entregará medalhas e estará na Paralímpiada em forma de exibição. A expectativa é que o esporte se torne paralímpico nos Jogos de 2020, em Tóquio.
Participar de um momento histórico para a modalidade não é mais novidade para Souza. Em 1997, o atleta disputou o primeiro campeonato mundial do esporte para deficientes, na Índia, onde foi campeão. Antes daquele ano não havia uma categoria para deficientes físicos.
"Comecei a praticar em 1994. Vi na televisão que ia ter um campeonato de braço, em Campinas, e fui lá conhecer. Eu era bom em braço de ferro, mas nunca tinha feito nada profissionalmente. Comecei a praticar. Naquele ano, disputei o campeonato paulista e fiquei em terceiro lugar", comentou Souza.
Diagnosticado com paralisia infantil aos 3 anos de idade, Souza começou sua vida esportiva aos 21, jogando basquete em cadeira de rodas em Campinas. Além da luta de braço, o atleta também participa de competições de atletismo em cadeira de rodas.
A perspectiva de representar o Brasil em mais um momento histórico para o esporte é algo que encanta o atleta, que mora em Hortolândia há 34 anos. "Estou muito empolgado. Vai entrar como apresentação, mas já é uma grande vitória. Estou feliz em ver que a modalidade está sendo incluída e tem tudo para virar paralímpica. (...) Não vejo a hora que chegue setembro para representar o Brasil em mais um desafio", afirmou.
O bracista se classificou para as Paralímpiadas ao conquistar o título do 38º Campeonato Brasileiro de Luta de Braço, que aconteceu em junho, em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul. Em 2016, o atleta também foi campeão do 37º Campeonato Paulista de Luta de Braço, que aconteceu em maio, em Paranapanema.
Profissionalmente, Souza atua de forma autônoma como técnico em eletrônica. Além disso, ele conta com o apoio da Prefeitura de Hortolândia, que oferece o Bolsa-Atleta e custeia suas despesas com competições.
Aos 44 anos, o atleta espera atuar em alto nível por pelo menos mais seis anos. "Eu pretendo encerrar aos 50. Estou empolgado pelos próximos anos e acho que virando paralímpica vai ficar mais fácil para participar das competições e divulgar a modalidade", opinou.