OK
Close

Câmara cobra retomada das obras

Santa Bárbara d'Oeste

ANDRÉ ROSSISANTA BÁRBARA D'OESTE | 14/05/2016-00:42:28 Atualizado em 14/05/2016-00:44:52
Matheus Reche | TODODIA Imagem
OBRA DO CORREDOR METROPOLITANO | Trecho da Avenida São Paulo, em Santa Bárbara d'Oeste

A Câmara de Santa Bárbara d'Oeste aprovou uma moção de apelo destinada à EMTU (Empresa Metropolitana de Transporte Pública) para que a empresa retome as obras do Corredor Metropolitano, na Avenida São Paulo. Os trabalhos estão parados desde o começo de junho de 2015, segundo os moradores, que chegaram a realizar um protesto contra a situação no ano passado. De acordo com a empresa, a obra só deve ser concluída no final de 2017.
A moção é de autoria dos vereadores Antonio Carlos Ribeiro, o Carlão Motorista e de Giovanni Bonfim, ambos do PDT. Segundo os parlamentares, essa obra trará benefícios para a cidade e deveria ser concluída o mais rápido possível.
"A moção é fruto de uma reclamação popular. A gente costuma caminhar pelo bairro e a situação tem ficado complicada. Acontecem acidentes no local, principalmente no cruzamento com a Rua Limeira, e as pessoas estão preocupadas. Não temos como determinar que a obra volte já que é um órgão estadual que comanda, mas fizemos a moção para cobrar deles", explicou Bonfim.
No dia 20 de junho do ano passado, cerca de 200 pessoas participaram de um protesto contra o ritmo da execução da obra, que consideram como lento. As principais queixas eram transtornos no trânsito, acúmulo de poeira em dias secos e enxurrada quando chove.
Passado quase um ano dessa manifestação e com as obras paralisadas, o sentimento de insatisfação continua. De acordo com Zenildo Rodrigues Soares, integrante da coordenação da Comissão de Moradores da Avenida São Paulo, pessoas já tiveram que se mudar do bairro por causa da demora na obra.
"A questão do trânsito está péssima, sem contar a poeira que não termina. Tem um pessoal que até se mudou da avenida por causa dessa construção, por causa de alergia. Acontece acidente diariamente, porque as ruas não estão preparadas adequadamente. Tem cavalete, mas a obra não termina", lamentou.
O segurança Celso Rodrigues, 43, que mora em frente à avenida, acredita que a construção do corredor valorizará seu imóvel. Porém, a demora já está incomodando. "Para a gente que mora há bastante tempo aqui vai aumentar o movimento, o que é bom. O problema é que está demorando. No começo (da obra) foi difícil porque não tinha grama (no canteiro central), agora plantaram já faz um ano. Mesmo assim, quando venta enche de terra aqui", contou.

Leia Mais