OK
Close

Não se pode esquecer o ser humano

TODODIA Express

ARTHUR MENICUCCIREGIÃO | 28/05/2016-00:23:13 Atualizado em 30/05/2016-20:59:23

A falta de qualificação dos funcionários que cuidam da portaria e segurança dos condomínios é a principal causa dos assaltos "pontuais" nos condomínios, aponta o especialista em segurança condominial e major da reserva da PM (Polícia Militar) José Elias de Godoy. Segundo ele, em 90% dos crimes em prédios no Estado de São Paulo, os assaltantes entram pelo portão principal do empreendimento.
Nos condomínios residenciais, o especialista afirma que os assaltantes entram pelos muros ou grades laterais em 80% dos crimes. "A falta de preparo e a inocência são as principais (causas). Quem tem que preparar esse pessoal é o condomínio que contrata, mas ele investe em equipamento e esquece do ser humano", argumenta o major.
Segundo ele, dois tipos de crimes atingem os condomínios: os arrastões, quando quadrilhas armadas e preparadas invadem, rendem funcionários e levam produtos de várias casas, e os pontuais, de criminosos que entram sem que sejam percebidos e furtam ou roubam poucas casas.
LISTA
Godoy lista três fatores que compõem a segurança de condomínios: a segurança física, que consiste na proteção com grades, equipamentos eletrônicos, câmeras; os funcionários; e o morador, "que é parte integrante e às vezes falta cuidado também", aponta. Para ele, os moradores buscam segurança nos residenciais fechados mas pedem que os funcionários afrouxem regras por comodidade. Um exemplo é permitir a entrada de entregadores de alimentos. Isso acostuma o funcionário a também permitir sem autorização.
"É possível prevenir os assaltos pontuais, mas os arrastões não. É toda uma logística, é muito complicado mesmo poder escapar", argumenta. Ele diz, porém, que o número de arrastões tem diminuído por conta da prisão de integrantes, mas os assaltos pontuais aumentam.