OK
Close

Internet.org é alvo de manifestações

Negócios Regionais+Capital

Autor: Estadão ConteúdoSão Paulo | - 30/05/2015-00h06 - Atualizado em 31/05/2015-22h06

Na última semana, uma carta, assinada por 67 entidades globais e de países como EUA, Paquistão, Nigéria, Holanda, Colômbia e Brasil expressou uma série de preocupações a respeito do programa Internet.org, criado por Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, com o objetivo de conectar pessoas sem condições de pagar pelo acesso.
Entre as preocupações, a de que a iniciativa de Zuckerberg viola a neutralidade de rede, traz riscos de segurança e privacidade, ameaça a liberdade de expressão e prejudica a inovação. Apesar da boa intenção do Internet.org, as entidades apontam que a iniciativa oferece uma versão pobre da experiência online, limitada apenas a serviços aprovados pelo Facebook e pelas operadoras com as quais se alia.
"O modelo do Internet.org, que dá aos usuários um gostinho de conexão antes de sugerir que comprem pacotes de dados, falha em reconhecer a realidade econômica desses milhões que não podem pagar por esses planos", diz a carta.
O grupo de autores do documento, que conta com seis coletivos brasileiros, se diz "especialmente preocupado" que o fornecimento de conexão a populações pobres esteja sendo usado como "justificativa para violações de neutralidade de rede".
Zuckerberg chegou a se pronunciar sobre a questão após ver seu programa na Índia ser abandonado por operadoras e serviços em meio a uma forte campanha em favor da neutralidade no país. Para ele, essas discussões "não devem ser usadas para impedir que as pessoas mais prejudicadas na sociedade ganhem acesso".
Para Veridiana Alimonti, da ONG Intervozes, signatária da carta, o fato de uma oferta como a do Internet.org "fazer sentido" denuncia um "problema de conectividade" no País. "Mas a solução para o problema não é enveredar por essa fração de Internet vendida como Internet. A Internet.org é um puxadinho malfeito que turva o real problema que é a necessidade de se ter políticas e incentivos para que as pessoas possam ser de fato incluídas digitalmente."
A Internet.org chega ao Brasil em junho, em Heliópolis, bairro da periferia de São Paulo, conforme prometeu Zuckerberg em abril, quando se reuniu com a presidente Dilma Rousseff para o anúncio da parceria.
No País, segundo a pesquisa TIC Domicílios, do Nic.br (Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR), entre setembro de 2013 e fevereiro de 2014, 42% dos brasileiros afirmaram nunca terem tido qualquer acesso à Internet. Desses, 26% nunca o fizeram por não ter como pagar pela conexão. Em fevereiro, a presidente anunciou sua intenção de garantir Internet "a todos os brasileiros" até 2018.