OK
Close

A aposta da capacitação em meio à crise

Empregos

Autor: LEON BOTÃO REGIÃO | - 18/04/2015-01h30 - Atualizado em 18/04/2015-21h39
Divulgação
Divulgação
Ivam decidiu investir em cinco cursos de capacitação, que serviram de diferencial no momento de ser contratado

O cenário de crise econômica não preocupa só aos empresários, que veem os lucros diminuírem, mas também preocupa os trabalhadores, devido à instabilidade no emprego. No entanto, de acordo com a especialista em desenvolvimento organizacional da IBE-FGV (Fundação Getúlio Vargas) em Campinas, Rita Ritz, esse momento pode ser utilizado pelos profissionais para se destacarem e serem notados na empresa por meio de capacitação.
"A falta de profissionais capacitados é mais notada em momentos de crise, quando há menos postos de trabalho aberto. E as empresas buscam os mais preparados", afirmou a docente. Essa capacitação, segundo ela, vale para todos os setores e, cada vez mais, para a área de produção.
"A capacitação é buscada uma forma de elevar o salário, a condição de trabalho e também de garantir o emprego, já que o trabalhador capacitado mostra que faz mais e faz melhor, e justifica a manutenção do cargo ou até uma promoção", explicou Rita.
A especialista afirmou que a qualificação que falta não é somente a técnica, é também relacionada à educação e comportamento. "Desde o 'por favor' e 'obrigado' e à solidariedade até a organização e respeito ao espaço do outro", disse. Ela afirma que o funcionário que busca investir em si mesmo é bem visto pela empresa.
CRESCIMENTO
O operador de rebobinadeira Ivam de Amorim Costa, 36, que trabalha na OJI Papeis Especiais, em Piracicaba, percebeu a necessidade de capacitação e investe em cursos oferecidos pela própria empresa para aprimorar suas técnicas de trabalho.
Costa fez cursos como informática, logística, ISSO 9001 e 14001, contabilidade básica, além de treinamentos, e hoje faz curso de Técnico em Química. "Tudo que eu aprendi e estudei até então foi avaliado e serviu como diferencial para ser admitido", afirmou.
O operador acredita que os investimentos em cursos auxiliam no desenvolvimento das atividades cotidianas e dão chance de crescer na empresa, além de ajudar na organização do trabalho e da vida pessoal.